terça-feira, 30 de agosto de 2011

Con.vence

Quando a morte parece uma idéia muito mais convincente, gentil e lógica do que tudo isso aqui que se tenta viver..

Dar chance a quem ainda quer tentar, aos que estão empolgados ou já não sentem ou querem sentir nada.

Aos desiludidos de vez, resta reclamar ou a morte. Morte simbólica, morte-vontade, morte de si.

Nada parece convencer nessa vida. "universitária"



domingo, 28 de agosto de 2011

"fauves"

"La Danseuse jaune",1912, de Alexis Mérodack-Jeanneau




Deixa eu dançar pra você, 

assim como a flor dança com o vento..

Como a luz dança na água..

Transparente.

Entre as vestes e movimentos..

Aquele momento único e sem fim.

Não em lembrança, mas em acontecimento.


sábado, 27 de agosto de 2011

Inexistente

Ela perguntava o que ele tanto dizia sozinho.. sorrindo...

Ele respondia que era mais fácil conversar com quem não existe do que conversar com pedras.

E ela continou ao seu lado.. Escutando as conversas com quem não existia. E ria junto com essa pessoa. Inexistente.


pedacinho.



é a falta ou é o excesso?

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Foto: Mateus Rosa



Ela foi dançar. Esqueceu sua chale na cadeira.. Entre risos e drinques, houve beijos. Beijos simples. Alegres,  e já não sabia se pela felicidade do momento, do lugar, da companhia, ou se pela bebida, talvez pela vida. Voltou já meio bamba, mas sorrindo. Ria fácil, encantava a todos, mas principalmente a ele.  Cavalheiro, pegou-lhe a mão, com o corpo já entregue, fácil... Beijou-a com os olhos fixos nela. Ela sorriu sem jeito. Sensação agradável. Encosta então em seu peito. Descansa, segundos eternos. Sorri mais um pouco... E a flor, que outrora fora enfeite, assistia a cena, observava contente a alegria da moça, pois amava.

domingo, 21 de agosto de 2011

aba

abafa

a aba dessa pose
que de quebra
nada quebra

se despedaça
abafa
o que já veio morno...
já larga frio.

gela
camisa gola de papai
nada comove
o que o bafo da noite some

amanheceria
o dia
quando ela ria.

sorria!
nada dizia...

sábado, 20 de agosto de 2011

leve

leveza

leve o que tiver que levar
e deixe.
deixa o tempo carregar o resto pra vc.
senão pesa...


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Mentiras a parte..

Mentira dizer que não conseguimos viver sem tal ou tal pessoa.
Conseguimos. Continuamos respirando, caminhando.

As pessoas que um dia amamos, que ainda amamos, que queremos bem, que queremos por perto, que temos saudade, e a vida dessas mesmas pessoas e a nossa própria seguem rumos diferentes, e nem tem meios de o ser diferente. Cada um segue seu caminho, baseado no que for, no que lhe convém, no que lhe faz bem, no que se acredita, etc.

Mas um fato importante é o fato de que quando perto ou em contato com essas pessoas específicas, a vida muda de cor. A vida tem um sabor, um som diferente. Que só elas podem dar. Só com elas pra se viver e experimentar certos momentos, sensações, sentimentos. Falar bobagem, brincar com o outro, falar o que pensa, dividir segredos, trocar carinhos, contar sobre a vida, sonhar.

Com isso é verdade também que não podemos viver sem essas pessoas. Não podemos viver AQUELA vida  daquele jeito sem essas pessoas. Nos adaptamos durante a vida, aprendemos a lidar com ausências, com mudanças, com transformações, com dificuldades, com problemas, com discordâncias, com distância, com tempo, com ciúmes, com raiva, com incompreensão, com silêncio, com a falta de assunto.

Mas o que talvez nunca consigamos aprender é o fato de ter que viver sem essas pessoas. E elas sempre voltam em lembrança. Sejam elas boas ou más... Mesmo que passarem anos, décadas ou mesmo uma vida inteira ou até várias sem vê-las.

O reencontro. Quando ele existe e é possível é sempre uma alegria (das maiores).

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Desaba

foto: Vanessa Komatsu




Ou ela me espera...
Pois ela está ali

Cabeça baixa
espera algo ou alguém, ninguém vem.

Ergue a cabeça sentindo ainda o peso da cabeça abaixada..

Faltou-lhe o ar ao respirar
Faltou-lhe as conversas que nunca existiram..

Só na cabeça dela

Aqueles momentos em que parecem que não tem mais sentido continuar..
E na verdade, temos muito mais pra oferecer pra vida do que ela pra gente.
Só depois de perceber isso
A cabeça erguida foi muito mais do que um dia imaginou ser...

Hoje, leve, levou o que queria
Deixou o resto.. 

.. e o resto
o mar levou..