domingo, 5 de dezembro de 2010


Imagem: Eveline Tarunadjaja


Quando a existência parece depender de algumas pessoas, de algumas instâncias, de alguns instantes secretos, selados, sensatos em sua vivência, insensatos vistas de fora..
Segredos, por vezes, sagrados.
O que temos conosco, o que levamos no caminhar rotineiro, corriqueiro, corrida maluca, cruel na sua pressa..
Levam tanto de nós.. O que nos sobra enfim?
O pouco tem de bastar. Tem de satisfazer o já insuficiente para respirar tranquilo pelo menos uma vez por dia..
A gente faz o tempo que o tempo permite construir dentro dele mesmo.
Escondemos o infinito do lado de dentro. Só nós sabemos o caminho para se chegar no lugar secreto, a senha esse Tempo de fora nunca descobrirá, precisa ter mais que Coração para se chegar lá.

Te encontro por lá, as dez.