sábado, 28 de agosto de 2010

Brandenburg

Porque o som no celular daquele ainda mexe comigo.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

de ponta cabeça

com a cabeça pendurada na cama
ela vê o seu quarto de outros ângulos.
fica recordando coisas
no meio delas.... um alguém.

fica esperando ansiosamente
encontrar o beijo dele
na boca de outro alguém.

guarda isso em secreto silêncio
amor em caixa de música
que ao abrir, se espalha, expande

de ponta cabeça, o mundo que vê agora
voltará a ter sentido.
mesmo que não conte nada a ninguém.

domingo, 22 de agosto de 2010

e ainda queremos sentir todo o prazer do mundo
como se fosse bebível
colocável em copos
pequenas doses intensas de prazer profundo
de alegrias instantâneas
passageiras
efêmeras suficientemente gratas para desejarmos cada vez mais
e nos entorpecer a cada pedaço de caminhada
a cada olhar distinto
a cada toque alheio
a cada palavra ouvida
calor carinhoso que toma nosso corpo, mais alma que corpo
mais corpo
como cobertor em inverno vingado
o sol não basta
queremos ser quebrados
descobertos...
encobertos do que melhor que podemos sentir, ouvir, ver, tocar, cheirar, brotar.

florescemos.

chega logo primavera!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

remelexo

é como se o corpo se manifestasse.
coisa que palavra alguma conseguiria descrever na íntegra..
energia essa que contagia dos olhos aos nervos.
arrepia o corpo só de ouvir as melodias e o som do ar que perpassa pelos vãos dos corpos em movimentos.
a alegria indiscritívelmente grande.
o sorriso que enfim chega.
me é contagioso o que move o corpo, mais que corpo, já sendo alma, corpo e espírito em sintonia.

talvez não tenha mesmo escapatória.
o destino me empurre para o remelexo do corpo
ao som da mais esdrúxula música, melodia, ritmo, canção..
desenvolvendo a alegria, meus ânimos todos
juntos e em sintonia do que quero sentir.

http://www.youtube.com/watch?v=VQ3d3KigPQM

porque isso me arrepia o corpo inteiro.

sábado, 14 de agosto de 2010

segunda

segunda tentativa
segunda feira
segunda vez
segunda tentativa
segunda voz
segunda
secundariamente
diariamente

cadê eu?

ainda procurando.. entre os vãos de mim mesma..
até encontrar os pedaços dispersos..

professor..
caro mestre,
meu tempo é diferente.
tudo dói.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

luz

sabe quando você chora
e quando fecha os olhos
imagina todas as pessoas que você ama
te abraçando bem forte
e você se sente em casa?

eu só queria saber porque tem momentos que me doem tanto essa coisa que insistem chamar de saudade.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

falta poesia no meu jardim. falta sentido no meu sentir.

"qualquer coisa que se sinta..
tem tanto sentimento deve ter algum que sirva" Arnaldo Antunes.

domingo, 8 de agosto de 2010

Manhãzinha de Feira

Chegando à feira. Vozes e sotaques e linguagem japonesa. Eu sem entender algo familiar. O cheiro das frutas. Saudade dos avós. De ser criança e passear na feira com eles. Lembrei da vontade de comer as guloseimas nada saudáveis. A alegria de ver os legumes ainda na espera de se transformarem em comidas deliciosas. Aquele colorido. Sem ter noção de que tudo se pagava. Ir para passear. Por um momento me pareceu o tempo parar. Como se eu fechasse os olhos para o presente e revivesse o passado. Um flash. Voltei a ser criança. Já nesse corpo quis ser de novo acompanhada, acompanhante. Estava eu lá. Hoje. Só. Saudosa. Sã. Querendo me entregar a loucura de não ser quem já estou, voltar a ser quem já um dia fui, estive vestida (investidas)

É. E no fim o pensamento "cresci".

O que eu ia comprar mesmo?

Matar a saudade primeiro, desses aromas e perfumes da feira.. fazia tempo que não ia à feira. Como é bom ser. Mais que estar. Sentir. (re)VIVER.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

de grego.

quando você acha que os problemas acabaram
que isso..!
aqui tem mais. toma!

presente












certas certezas que tenho tornam algumas coisas complexas tão simples
que nenhuma descrição faria diferença nisso que você entendeu.

domingo, 1 de agosto de 2010

conceitos

mentais
visuais

comuns.

é quando a gente desloca
o que sempre pensou

seja sobre meio-fio [que não fica no MEIO da rua!]
seja sobre paralelepípedos [que não são bloquetes!]
seja sobre amor, ortografia, religião.

acontece.

certas coisas divergem