sábado, 21 de fevereiro de 2009

Fonte: Imagem capturada de um blog... um artista..



Sabe quando a gente entende tudo errado?


Ou não entende nada e finge que entende


e acaba fingindo tão bem que acaba acreditando?


Acaba criando uma realidade monstruosa


destruidora, devastadora..


Sonhos desabam... desusam de acontecer...


Desilusão e desistência.


A capacidade que algumas pessoas de nos fazerem bem e ao mesmo tempo fazer tão mal a outrem... por não enxergarem simples coisas além do egoísmo e do que realmente poderia ser além do que TODO MUNDO PODE ACHAR! E as vezes nem é de fato o que todo mundo pensa..


São só desculpas..


O tempo vai dizer muita coisa... O tempo diz muita coisa!


Faz a gente perceber as coisas e pessoas que perdemos... o que era e é realmente importante! O que já acabou faz tempo, mas a gente insiste em persistir NAQUILO.. seja lá o que for... nem que seja o feijão carunchado que vc pegou e nunca mais comeu por causa daquele único grão...


Botar defeito e criar frustração...


Certas coisas de fato não existem.. e "certas" pessoas acreditam fiamente.. (quase uma fé maior!) que elas existem e sempre existiram... e que muitas coisas belas.. não existem nem em sonhos...


Aceitação.. Cansaço..


Desânimo..




Se não fosse o silêncio que ainda acontece no lugar das marcas que ficariam se houvessem palavras... (mais desastrosas que nunca!)


Certas pessoas não se torcem nunca antes de machucar alguém... antes de provar uma picada de seu veneno, a SUA "verdade"

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Contem o que contêm..

Se eu dançasse...
Melodia.
Se eu escrevesse...
Tudo..
Se eu dissesse tudo que não convém.
Vontade.
Explodiria em cores..
Artifício!
Seria sabores jamais provados antes..
Aroma!
Por qualquer ser aqui existente..
Raridade
Seriam únicos e breves
Verdades momentâneas
Momentos de felicidade profunda
Sopro
Um mastigado de vento e pó..
Cintilando uma beleza transparente
Cirandando iria voar..
O tempo nunca iria alcançar..
A brincadeira se faria menos jocosa..
Se o riso fosse contido
Por um segundo a mais..
Contemplariam o secar da lágrima.
A beleza iria durar..
Por mais instantes..
Arejar os lábios
E com eles as palavras que se contém
No interior..
De uma borboleta que foge
Em direção a lua..
E ao encanto que ela mantém..
No mistério gostoso e fresco da noite..
O sorriso se refaz
Sempre com um buraco a mais..